domingo, 26 de julho de 2015

Vivem para as metas, mas se esquecem de metas para viver

Estamos vivendo cada vez mais de maneira corrida, em que as cobranças no mercado de trabalho estão sendo cada vez mais postas na vitrine. Pensando bem, qual seria a consequência disso? Funcionários adoecidos versus sobrecarregados. Ou então enlouquecidos com suas metas, as quais devem atingir. Fico me questionando, e quando não atingem, como se sentem? Como se comportam? Afinal, como reagem? Ah, isso não podemos esquecer, muitos acabam que não ficam, se vão. E isso tudo, não por espontânea vontade, mas por exaustão.
Sim, a mente sofre e os resultados no trabalho, também. Apesar de tudo, tentaremos solucionar.
Veja bem, como podemos perceber, os trabalhadores mal conseguem curtir seus intervalos, pois mal tomam seus cafés e comem suas bolachas e já devem, rapidamente, retornar para os seus expedientes para então fechar suas metas. Ou seja, vivem da tal das metas. Ou melhor, vivem para as metas, mas esquecem-se de metas para viver. Sabe-se que estas acabam causando desgaste nos funcionários, o chamado esgotamento, e o que fazer nestes casos dos quais se chega ao limite?
 Pode-se negociar com o chefe, respirar fundo e tentar refletir sobre uma melhor forma de lidar com tudo isso, sem prejudicar o local de trabalho e sua oportunidade no emprego. Sempre é importante, nessas horas, pegar um ar fresco e seguir adiante.
É aconselhável que os trabalhadores se deem um tempo livre não somente para o trabalho prosperar, mas para também cuidarem de sua saúde, pois no final das contas, é o lazer que faz o sucesso. Pois funcionário sem um lazer em dia é funcionário entristecido por não ter aproveitado seus dias livres. Por isso, aproveite para obter sucesso ao retornar para o trabalho.
É importante ressaltar, que caso não tenham atingido determinada meta, o essencial é não se culpar. Até porque, chega um momento em que se torna mais difícil o alcance de determinada meta, principalmente naqueles casos em que ela se torna muito alta. Então o fundamental é o funcionário não se cobrar tanto, afinal, se ele adoecer psicologicamente, o seu chefe e o seu trabalho continuam, mas ele não.
O que recomendo aos trabalhadores é: Cuidem-se! Exijam-se menos e trabalhem mais, saibam lidar com a pressão, pois, uma hora, ela sempre passa e, muitas vezes, é necessária para seus próprios crescimentos como profissionais. Se os funcionários tomarem as rédeas do cuidado, além do chefe agradecer, suas vidas agradecem em dobro. Diga sim à saúde, a sociedade precisa de trabalhadores, mas principalmente, sãos.
Por fim, vá à luta! Mas continue amando o que faz ou procure amar. Este é o seu trabalho amanhã, talvez, mas, no fundo, é a sua vida. E, no fim das contas, é ela quem está em jogo.
 
Comente este artigo.


2 comentários:

  1. As pessoas se preocupam tanto com o agora, com o já, que se sobrecarregam e acabam fazendo as coisas do jeito que elas não queriam, pois a sobrecarga é demais... De grão em grão a galinha enche o papo, é preciso fazer as coisas com calma, pois uma mente tranquila traz resultados mais satisfatórios!

    Deem uma olhada no meu blog, faço resenhas: http://rsenhando.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Olá, boa noite. Muito interessante o post. Retrata bem a realidade de muitos. Ressalto que não apenas àqueles que tem chefe mas os pequenos empresários. Vamos dormir tarde, acordamos cedo... nosso sono nunca parece ser suficiente, pois em verdade,não é. Levamos para cama tudo o que não conseguimos realizar e consideramos importante. Estamos vivendo no limite de nossas forças, físicas e mentais. Eu já tomei consciência que não é esse caminho. Sem saúde, nada de material vou conseguir.
    Grande Abraço.
    Parabéns pelo post.
    Simone Serra

    ResponderExcluir