sexta-feira, 26 de junho de 2015

O mistério visto à luz da ciência quântica.

Físico quântico internacionalmente famoso enaltece o trabalho do médium "João de Deus"
Um novo paradigma científico calcado na Física Quântica redimensiona o conceito de espiritualidade ao estabelecer que a consciência – e não a matéria – é que é o substrato para todas as coisas que existem.
Não há dúvida de que o desenvolvimento científico e tecnológico é uma importante conquista na marcha do progresso humano, entretanto, é fácil constatar que o mundo contemporâneo, infelizmente, se mostra incapaz de resolver um grande número de conflitos que emergiram e continuam emergindo no cenário da realidade humana. Desigualdade social, terrorismo, impactos ambientais, egoesclerose individual, para citar alguns dos nossos problemas. Onde se encontra a raiz de todos eles? Certamente na aceitação condicionada e irrefletida de que há uma oposição entre espírito e matéria.
No revolucionário livro O Ativista Quântico, o autor Amit Goswami, referência mundial em estudos que procuram conciliar ciência com espiritualidade, propõe que somos capazes de mudar o mundo e a nós mesmos partindo de outros fundamentos que não o materialismo: a Física Quântica, o desenvolvimento genuinamente espiritual e o nosso poder criativo. PhD em Física Quântica pela Universidade de Calcutá, na Índia, pesquisador e professor emérito do Departamento de Física da Universidade do Oregon, EUA, ele explica os princípios da mecânica quântica de forma clara e acessível, sem perder os rigores da ciência.
Para Goswami, a Física Quântica, a espiritualidade e a criatividade são os elementos essenciais para uma profunda transformação individual e social. No presente trabalho, ele deixa claro que a ciência convencional e materialista por um lado e a religião apenas caricatural no polo oposto não são capazes de apontar os caminhos para a resolução das crises sociais que se agravam, da questão da preservação ambiental e do esvaziamento das relações humanas e desintegração dos valores.
Comente este artigo.

Um comentário:

  1. Interessante ver um físico abordando estes conceitos. Ótimo texto.

    ResponderExcluir