sábado, 1 de janeiro de 2011

Sinceridade, magoas e mentiras...



Todas as palavras do dicionário, por melhor que ele seja, sempre levam uma carga subjetiva quando as usamos. Conheci e conheço muitas pessoas que se dizem sinceras, e elas realmente o são, de acordo com a sua subjetividade.
Tem algumas que cospem suas verdades, ou suas convicções do que seja a verdade, e por isso falam que são sinceras. Outras têm a capacidade de ver as coisas somente de seu ponto de vista, esquecendo que há um interlocutor, que também possui seu lado da história.
Sinceridade! Quantas mágoas foram feitas em teu nome!
Na adolescência eu tive um amigo que acreditava ser a sinceridade em pessoa. Como magoava! Ele falava qualquer coisa que vinha à sua mente, e honestamente acreditava que isso era ser sincero. Não media as conseqüências do que dizia, não tinha nenhuma filtragem prévia entre o cérebro e a boca. Não entendia porque as pessoas ficavam magoadas com ele. Ele era tão sincero!
A responsabilidade sempre é daquele que dá a mensagem. As mesmas palavras mudam de significado dependendo da entonação, o momento ou as circunstâncias nas que são proferidas. Também devemos pensar na situação daquele que está recebendo nosso discurso.
As mágoas são outro problema. Muitas vezes nossa mera presença magoa as pessoas, porque elas estão mal consigo mesmas, não tivemos nenhuma responsabilidade, mas nos é atribuída. Outras magoamos sem querer, porque não tivemos a sensibilidade de perceber o estado de ânimo de nosso ouvinte, só pensamos na nossa necessidade de botar para fora o que nos estava incomodando.
E as mentiras? A maioria das vezes ouvimos dos outros aquilo que queremos ouvir, não aquilo que foi realmente dito, então nos ofendemos e dizemos ao mundo que fulano nos ofendeu. Verdade? Não. Mas para a gente passa a ser uma verdade, e para o outro uma mentira. Quem é o mentiroso? Quem fala a verdade?
Sinceridade, mágoas ou mentiras? Como saber?
Única solução: sempre tentar ver o lado bom das coisas, porque se olhamos sempre o negativo nunca encontraremos sinceridade, sempre ouviremos mentiras e viveremos magoados.
E você meu caro amigo é sincero, mentiroso ou magoado?


Ricardo Irigoyen. ( tatirigoyen@yahoo.com.br )

Comente o texto, participe!!!

3 comentários:

  1. Eu creio que mentiras que causam malignidade também afloram as mágoas. Eu não suporto. Eu prefiro um NAO sendo sincera do que mentir, para ser desmascarada um dia, ou mesmo receber um não.
    Mágoa é algo que pode ir mais fundo e tocar a alma da gente, então, é necessário um tempo para se curar.

    beijinhos

    ResponderExcluir
  2. William,

    Sinceridade não pode ser confundida com falta de educação e sensibilidade ou mesma autenticidade. Contudo, melhor uma verdade dita com sensibilidade do que uma mentira que conforte. Quanto às mágoas creio que não é possível evitá-las, porque é um sentimento que vem do outro e não as controlamos.
    Feliz 2011.
    Herval

    ResponderExcluir
  3. Willian
    Shakespeare disse que depois de algum tempo vc...
    ...Aprende que não temos que mudar de amigos se compreendermos que os amigos mudam. Percebe que seu melhor amigo e você podem fazer qualquer coisa ou nada e terem bons momentos juntos.
    Descobre que as pessoas, com as quais você mais se importa na vida, são tomadas de você muito depressa por isso sempre devemos deixar as pessoas que amamos com palavras amorosas, pode ser a última vez que a vemos...

    Entendo que é um exercício diário tentar ser afetuoso e amoroso e isso se torna um exemplo para aqueles que no uso da sinceridade exagerada nos magoam. Já a mágoa não deve ser guardada, pois faz mal a saúde. Vc também pode usar da sua sinceridade através de exemplos e atitudes pois nem sempre as palavras conseguem atingir seu objetivo. Não nascemos prontos, nem somos cubos de gelo e nos momentos de arrependimento o perdão é remédio para a alma.Grande Abraço e feliz ano novo!

    ResponderExcluir