domingo, 19 de outubro de 2014

Desconstrução e ódio

Desde aquela Cartilha do Politicamente Correto o desacato total à Língua Portuguesa virou instituição; motivados pelo irônico – ou cínico – “todas e todos” e suas variantes incontáveis (desde as “sábias” falas de Sarney), as “autoridades” inseriram “presidenta”, em nome de um atendimento espúrio ao movimento feminista; na esteira, vieram coisas piores, como “oficiala” (tenho comigo um documento de cartório em que aparece tal título) e o que me deixou perplexo: “bacharela” – este, imposto por assédio moral a dirigentes de faculdades: mulheres formadas receberam diplomas com essa qualificação e muitas, felizes com a excrescência, assim assinam sofríveis artigos em jornais).
Nos programas eleitorais, Iris Rezende fala “serão” (Futuro do Indicativo do verbo ser) e aparece na legenda “seram”; ele fala “quilômetros” e na legenda surge “kilômetro”. Fazer o quê? A recandidata gaguejou sistematicamente para falar “previsibilidade”.
Surpreendi-me com outra palavra: desconstrução. Usada à exaustão pelos marqueteiros e militantes de Dilma, refere-se não a demolição, mas a desmontagem. Aplicada como se pratica da atual campanha de ódio e vale-tudo, a palavra se reveste dos conceitos da calúnia, do denuncismo (neologismo político) e, em alguns casos, da injúria e da difamação. Aécio disse que Dilma teria afirmado:

“Em campanha a gente faz o diabo”; deve ter dito, porque ela não o desmentiu (no debate da Band, esta semana).
Lamento que a nação, quase trinta anos após o fim da ditadura, tenha de viver isso. A presidente Dilma teria usado ponto eletrônico no debate na Band; tudo bem, não fosse assessor, falando “em off”, valer-se de palavras pouco freqüentes no vocabulário dela, como “previsibilidade”.
Foi então que entendi porque Dilma não conseguiu defender sua dissertação de mestrado. Para se ser Mestre, há que se ler e escrever; se não sabe falar, como escreveria? Como leria um texto diante da banca, texto esse que poderia ser escrito por qualquer um, mediante paga ou não; mas, ao ler, teria de pronunciar corretamente, ou seria desmascarada.
Votei em Lula no segundo turno de 1989; votei nele em todas as eleições subseqüentes; e por sua indicação, votei em Dilma, a desconhecida; agora que a conheço, não voto mais. Meus amigos petistas têm respeitado a minha postura; mas os conhecidos que não são meus amigos agridem-me verbalmente quando percebem, por eu dizer ou por meus atos, que não votarei na economista que não soube conduzir a economia (não entendo: ela podia ter mantido o Henrique Meireles no governo, mas...). Não voto naquela arrogância nem no ódio que ela impôs à militância que, estranhamente, defende-a como ídolo, quando deveria desprezá-la por prejudicar o partido.
Respeito os amigos, os conhecidos e os estranhos que militam, que ostentam a estrela e a sigla PT, que admirei quando defendia a ética e a dignidade (agora tão estranha). Respeito-os por escolherem dentro de seus conceitos e princípios, como eu faço minhas escolhas.
Não respeito os detentores do ódio, similares a torturadores do arbítrio – não têm, hoje, a oportunidade; se lhes dessem a ocasião e os apetrechos, teriam prazer em prender e arrebentar.
É isso: eu não comungo com o ódio; se fosse generalizado, eu anularia o voto pela primeira vez, justo nesta que é a minha última eleição obrigatória.
Luiz deAquino, escritor e jornalista, membro da Academia Goiana de Letras.

Comente este artigo.

sábado, 18 de outubro de 2014

Veterinário descobre que cachorro tem alergia a humanos

Algumas pessoas são alérgicas a cães, mas agora veterinários descobriram um cachorro que é alérgico a pessoas. O Labrador de cor preta chamado Adam, foi resgatado com problemas de pele e de saúde por um grupo de cuidadores de cachorros dos Estados Unidos. Assim que começou a ser tratado em uma clínica veterinário, a saúde de Adam começou a melhorar, porém, seu problema de pele persistia. 
"Nós alimentamos ele com a melhora ração, o deixamos livre de pulgas, demos dois banhos por semana, banhos especiais em veterinários. Mas nós ainda não conseguíamos descobrir o que havia de errado, então levamos ele para fazer exames de sangue", disse Robin Herman, do grupo de protetores de cães "Lucky Dog Retreat Rescue".

Após os exames, Robin ficou surpresa quando o veterinário revelou que Adam é alérgico a humanos. "Humanos? Eu pensei que o veterinário estivesse brincando, ela disse que assim como nós podemos ser alérgicos a cachorros, ele é alérgico ao pelo humano".
Os veterinários acham que pode curá-lo, e agora o grupo está arrecadando doações para tratar o problema do Labrador.

Comente este atigo.

Cínica democracia

A situação é a seguinte: sua vida dependerá da escolha de algumas pessoas (sim ou não): - Há um grupo a seu favor, outro grupo contra e ainda um terceiro onde se encontram pessoas que desconhecem os fatos, as tramas e aguardam alguém que os convença.
O grupo contrário a você mentirá, manipulará, subornará, extorquirá e vai fazer o diabo, os favoráveis à sua vida tentarão convencer utilizando a razão dos fatos: Resultado: você está morto! Isso é democracia, certo?!
A presente eleição presidencial, assim como o exemplo citado, são amostras da falibilidade democrática porque vejam, de um lado há um partido no poder que após 12 anos apresenta um resultado medíocre em todas as áreas importantes de uma nação.
Em contrapartida, há duas alternativas, sendo a primeira uma incógnita absoluta e a segunda representada junto às pessoas que implementaram o Plano Real, o qual sustém a economia ainda hoje, apesar das agressões sofridas por políticas desastradas e incompetentes.
Se acreditarmos em pesquisas encomendadas, o povo parece escolher a continuidade do erro, apesar dos alertas racionais de pessoas mais politizadas e preparadas no entendimento dos fatos.
Mas isso é democracia, dar oportunidade para que pessoas mal informadas ou desinteressadas decidam o futuro de um país e das famílias desse país. 
Se alguém perguntasse a qualquer brasileiro se ele apoiaria um esquema de corrupção, é mais que óbvio que se ouviria um sonoro não, mas então, porque cargas d'água, as pessoas ainda insistem em votar na representação dessa corrupção ?
– Será porque a partir de agora, a corrupção será combatida, como tem prometido determinada candidata? 
– Será porque não há fatos ou indícios ou evidências suficientes que apontam na conivência com a corrupção (ainda que de forma negligente, para não se dizer nada)?  – Será porque o brasileiro é só um “esperto” ingênuo, um “malandro” tolo ?
A correção do sistema democrático deve passar, obrigatoriamente, pelo voto facultativo, pela proibição da reeleição, pela punição exemplar dos corruptos, além de uma reforma política severa e ampla, onde não se permitirá que pessoas agraciadas com bolsas governamentais votem, onde não se permitirá que pessoas fragilizadas votem ...
Mas enquanto isso não acontece, brincamos de democracia, brincamos de eleger o melhor, às vezes dá certo, outras não, queira Deus que desta vez escolhamos corretamente nosso futuro presidente !

Comente este artigo.

quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Superdosagem de Omeprazol pode causar anemia ou até mesmo demência

O medicamente Omeprazol, utilizado para tratar úlcera, gastrite, entre outros problemas gástricos, pode reduzir a quantidade de vitamina B12 no organismo quando consumido em doses elevadas. A falta dessa vitamina aumenta os riscos da pessoa ter anemia e problemas neurológicos graves, como demência.
De 1997 a 2011, pesquisadores fizeram um estudo comparando um grupo de 25.956 pacientes diagnosticados com falta de vitamina B12 e outro grupo de 184.199 pessoas sem esse problema. Eles descobriram que os indivíduos que tomam Omeprazol, ou derivados, por muito tempo, têm 65% mais chances de desenvolverem déficit da vitamina.
A superdosagem é considerada quando o consumo é de dois comprimidos por dia, ou 40 mg de Omeprazol. O problema geralmente acontece quando as pessoas se automedicam. Os pesquisadores aconselham a redução pela metade (20 mg), e fazer períodos de pausa para que o organismo possa recuperar a quantidade saudável de vitamina B12.
O estudo foi feito pela empresa norte-americana Kaiser Permanente e publicada no Jornal da Associação Médica Americana.


Comente este artigo.

Desejos bons fazem bem!

O desejo é uma atitude mental que busca uma satisfação. Desejamos algo para nossas vidas e em ocasiões especiais para a vida de outras pessoas.
Lembrem dos contos de fada, quando a princesinha Aurora nasceu recebeu a visita de três fadas madrinhas: Flora desejou que tivesse uma grande beleza; Fauna desejou que tivesse uma encantadora voz para o canto, mas, de repente, um furacão invadiu o palácio e a terceira fada, Primavera, não falou seu desejo. Surgiu, então, Malévola a Bruxa do Mal que, como não tinha sido convidada, ficou furiosa e desejou que a menina aos 16 anos furasse o dedo numa roca de fiar e assim sangrasse até morrer.

Menos mal esse feitiço terrível foi amenizado pela terceira fada que pediu para que Aurora apenas tivesse um sono profundo que poderia ser despertado pelo beijo de um amor verdadeiro.
Voltando à vida real, quando nossos bebês nascem recebem muitas visitas e também os pais escolhem seus padrinhos. Todos, inclusive os pais, desejam para o novo ser felicidade, saúde e uma vida repleta de gratificações. Desejos bons que irão fazer bem e nortearão o caminho da criança. E toda a proteção e segurança que a criança recebe servem como uma grande muralha que ameniza os maus desejos que podem existir.
Assim, quando encantados com seu bebê, os pais lhe dedicam olhares afetuosos e a criança percebe o quanto é amada. Através dos olhares de quem ama a criança, ela se percebe como um ser diferente da mãe e gradativamente se diferencia e entende o que lhe desejam.
Todos os desejos projetados para o futuro traçam os planos para esse novo ser que cresce. Desta forma as crianças também desejam agradar os pais, correspondendo aos desejos, e se empenham em dar respostas positivas. Desejam continuar sendo amadas.
Durante as outras etapas da vida é no olhar de outras pessoas que a criança encontra aconchego e estímulo. Quando os professores olham de forma afetuosa para seu aluno, para o caderno e falam palavras carinhosas tudo serve de estímulo fundamental para continuar sendo melhor e aprimorar as capacidades.
 Em outras situações, é o olhar dos amigos que estimula a fidelidade e a lealdade, um sincero diálogo e uma verdadeira trajetória ao lado de outras pessoas. Num outro momento é o olhar da pessoa amada e desejada que mostra os desejos mais intensos e permite as descobertas mais profundas de todo o nosso ser.
Encontros com pessoas que nos querem bem, que nos admiram, que nos valorizam, só pode fazer bem. São como os desejos bons que estimulam nossas atitudes e nossos comportamentos mais saudáveis. Recentemente, por ocasião do lançamento do meu livro Marcas de fogo, recebi muitas pessoas e muitas delas me surpreenderam porque ali foram me conhecer: são leitores que desejaram olhar de mais perto quem escreve. 
Esse olhar só me deixou mais contente, mais gratificada e orgulhosa da escrita que tenho feito. Retribuo agradecendo a todos que compartilharam comigo bons desejos e que dessa maneira estimulam meu fazer.Espero, como as crianças, responder adequadamente a todas essas pessoas e continuar aprimorando tudo o que transformo em escrita.
Desejos bons fazem muito bem não apenas nos contos de fada mas na vida real, onde as pessoas atravessam qualquer obstáculo para chegar aos objetivos mais sonhados e responder àqueles que amam, onde o beijo de um amor sincero pode derrubar todos os terríveis e amaldiçoados olhares do mal.

Comente este artigo.

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

"Celeiro do Juízo Final" recebe mais 10 mil variedades de sementes

O Silo Internacional de Sementes da Esvalbarda, apelidado de "Celeiro do Juízo Final", é o reservatório de sementes localizado no arquipélago Ártico de Svalbard, a 1120Km do Pólo Norte. Seu objetivo é o de preservar espécies de plantas que sirvam como alimento para a população terrestre.
Recentemente o silo recebeu mais 10 mil sementes, e já armazena 825 mil tipos diferentes de sementes, representando 13 mil anos da história da agricultura. A proteção da diversidade de plantações do mundo é fundamental para garantir a segurança de comida caso haja uma mudança climática radical, alertou o Global Crop Diversity Trust(GCDT), grupo que gerencia o silo. As sementes vieram de outros silos, da Bulgária, Colômbia, Índia e Taiwan, contendo variedades de mais de 100 países.

"O Silo Internacional de Sementes da Esvalbarda simboliza como nós podemos criar uma solução positiva, sustentável e de longo-prazo para alimentar o mundo para sempre", disse Marie Haga, Diretora Executiva da GCDT.
O grupo está pedindo aos governantes, empresários, fundações e aos ricos, para contribuir com uma doação de US$800 milhões, que será utilizada para conservar a variedade de plantações perpetuamente.


Comente este artigo.

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Sete idosos morrem participando de orgia

Evento de sexo grupal contou com a participação de 200 pessoas
Uma festa inspirada no livro “50 tons de cinza” na cidade de Charleroi, na Bélgica, não teve o final muito feliz para alguns participantes. O evento foi planejado para ser a maior festa de sexo grupal e para participar era necessário ter mais de 65 anos. Sete pessoas tiveram problemas de saúde e morreram.
O evento aconteceu no último sábado (11) e contou com a participação de aproximadamente 200 pessoas. Porém, dez pessoas tiveram que ir para um hospital com problemas de saúde. Sete participantes não resistiram e vieram a óbito. Cinco pessoas faleceram por ataque cardíaco e dois por edema pulmonar.
Com informações O Globo 

Comente este artigo

Igreja Católica deve mudar em relação aos gays, sugere Vaticano

Um documento elaborado por 200 bispos diz que homossexuais têm “dons e qualidades a oferecer”
Depois de uma semana de discussões sobre temas relacionados à família, cerca de 200 bispos elaboraram um documento e nele foi indagado se a Igreja Católica pode aceitar os gays e reconhecer aspectos positivos da união entre casais do mesmo sexo. 
"Os homossexuais têm dons e qualidades a oferecer à comunidade cristã: seremos capazes de acolher essas pessoas, garantindo a elas um espaço maior em nossas comunidades." Diz o documento.


Comente este artigo.

domingo, 12 de outubro de 2014

Drácula vive


Voltando ao ano de 1400 e alguma coisa, podemos percorrer as ruas frias onde Wlad, príncipe da Valáquia, o sanguinário da realeza que matava e empalava suas vítimas, é aqui lembrado pela crueza de seus atos. O empalador extraía de suas vítimas não só o gozo da vida, mas também, seus atributos, para que, de forma equivocada, pudesse ele também possuir o que carecia.

Drácula, o mequetrefe, aquele que não ousamos o nome dizer, vive e reina ainda neste século.

As criaturas "Draconeanas" vivem em qualquer ambiente onde o bem não é celebrado como instrumento de construção e soberania. Drácula vive no político que rouba o dinheiro público, privando a população de recursos melhores, vive naquele que destrata os seres indefesos, naquele que maltrata a criança e o idoso, e o pior de todos; o mais sanguinário, aquele que destrói os sonhos alheios, prejudicando o outro através de atos covardes. Sob o véu da ignorância, se justificava qualquer ato.

 Hoje é papel da justiça combater a postura draconeana, que teima em fazer do mundo, deste mundo, o mesmo cenário da idade das trevas.
Se estamos no século das luzes, da clareza, pois que esta entre!

Não basta estar na luz, devemos dar a cada um aquilo que quer ter. "Justiça é retribuição,é intercâmbio",alguém já disse.

Deus não postou o esquecimento como guardião no templo da dignidade em vão...
"Somos os filhos da Grécia e do Cristianismo Hebraico",disse o mestre.


O corpo de Drácula foi decapitado pelos turcos e sua cabeça foi enviada a Constantinopla, onde ficou exposta como prova de que o empalador estava morto. A sociedade não exige o empalamento dos seus "Dráculas", apenas que sejam reconhecidos, já é um bom caminho.



Comente este artigo.

sábado, 11 de outubro de 2014

Café faz bem para o fígado, diz cientistas

Pesquisadores do Instituto Nacional do Câncer, nos Estados Unidos, disse que pessoas que bebem café todos os dias estão fazendo um bem para seus fígados, melhorando a funcionalidade do órgão e evitando doenças.
Os cientistas descobriram, através de uma pesquisa, que quem BEBE café estão menos sujeitos a ter alto nível de vários biomarcadores que mostram má funcionalidade do fígado. O alto nível dessas enzimas, como a aminotransferase, geralmente indica danos no órgão e estão ligadas a problemas como DIABETES, doenças cardiovasculares, câncer e cirrose.
Analisando o hábito de consumir a bebida e amostras sanguíneas de mais de 27 mil participantes, acima de 20 anos, os cientistas descobriram que quem bebe café tem um menor nível de enzimas ligadas a essas doenças. 
O efeito positivo foi ligado a outros componentes do café, e não à cafeína, já que os benefícios foram vistos tanto em pessoas que bebem café normal quanto nas que bebem café descafeinado.

Comente este artigo.