terça-feira, 29 de julho de 2014

Dez dicas para se viver feliz segundo Papa Francisco

A cada aparição ou a cada fala dada aos fieis, o Papa Francisco, mostra-se cada vez mais querido e mais influente no mundo, não apenas para os fieis católicos, mas, para todo o mundo. O Papa falou ao periódico argentino Clarín, quais seriam os passos para se ter uma vida feliz.

A entrevista do Papa, foi à revista Viva que pertence ao jornal argentino, no qual ele da dez passos para que possamos ter uma vida repleta de felicidade. Para Francisco os dez pontos são: Viver e deixar viver; Dar-se aos outros; Mover-se remansadamente; Brincar com as crianças; Ajudar os jovens a conseguir emprego; cuidar da natureza; Esquecer-se do negativo; Respeitar o que o outro pensa e o último passo é buscar de forma ativa a paz.

Esses foram os passos indicados pelo Papa, para que possamos viver felizes; na entrevista ainda Francisco fala sobre uma possível indicação ao prêmio nobel da paz, por sua ações nos conflitos na Ucrânia e faixa de gaza e também por usa atitude no Muro das Lamentações, quanto esteve no local este ano. Porém o Papa disse não se pensar nisso e nem se ater a esses títulos e concluiu que todos devem buscar a paz de forma que esse é o idioma o qual tem que ser falado

Fonte. DM.

Comente este artigo.


segunda-feira, 28 de julho de 2014

"Parem de lavar seus jeans", disse o CEO da Levi Strauss



Hoje o jeans é, se não o mais usado, um dos tecidos mais usados no mundo, sendo as calças jeans um acessório comum para qualquer pessoa, de qualquer classe social. Mas o jeans tem um problema sério, que está em sua fabricação. Para se fabricar uma calça jeans, é consumido cerca de 11 mil litros de água.

Neste mês Chip Bergh, Diretor Executivo (CEO) da empresa Levi Strauss & Co., uma multinacional de referência no mercado de roupas, pediu para todos pararem de lavar seus jeans. Segundo Chip, além de preservar o tecido, iria diminuir significantemente o desperdício de água no mundo. 

Para Chip, a calça jeans não necessita de ser lavada constantemente, até mesmo para que seu tecido não seja danificado, ele mesmo disse que não lava as suas calças a mais de um ano.


A Levi Strauss lançou uma nova linha de calças waterless, ou seja, com menos consumo de água, conseguindo diminuir em 96% a quantidade de água consumida durante a produção final das calças. De acordo com a empresa já foram feitas 13 milhões de calças waterless, salvando 172 milhões de litros de água.

Levi Strauss foi um alemão que se naturalizou cidadão dos Estados Unidos, e em 1853 fundou uma loja de tecidos na Califórnia, época da descoberta de ouro na região. Em 1872, teve ideia de reforçar a costura das calças utilizadas por mineradores, criando pela primeira vez o blue jeans, a calça jeans que utilizamos até hoje.


Comente este artigo.

domingo, 27 de julho de 2014

Reforma política urgente



A “política” é importante para quem se preocupa com o desenvolvimento econômico do país e, por conseguinte, com os reflexos deste desenvolvimento na melhoria da vida de todas as classes sociais. Talvez muitos não saibam as razões do Brasil não conseguir alcançar, continuamente, taxas de crescimento econômicas elevadas desde meados de 1980.

 As respostas podem advir dos efeitos maléficos da elevada carga tributária, da ineficiência do setor público, das taxas de juros praticadas, da inflexibilidade das relações trabalhistas, do desmantelamento da infraestrutura rodoviária, ferroviária e portuária, dos equivocados incentivos à produção de automóveis em detrimento dos transportes coletivos, entre tantos outros. O fraco desempenho da economia brasileira não se resume, portanto, em apenas um fator negativo, mas num conjunto deles.

A questão é saber até quando o país e seus habitantes irão suportar ineficiências na gestão pública, resultado de decisões políticas equivocadas, seja pelo despreparo dos políticos que decidem o destino do país ou por interesses coorporativos ou pessoais.

 Em alguns momentos no contexto político-governamental foi possível enaltecer pontos positivos implantados há 20 anos, que tem servido de base para a retomada do desenvolvimento. A estabilidade monetária promovida pelo Plano Real, a consolidação da democracia e o processo de participação da população também motivada pela redução das desigualdades de renda, mesmo com caráter assistencialista, e o aumento do nível de emprego.

Estas ações, entretanto são insuficientes para assegurar taxas de crescimento econômico condizentes com o potencial dos recursos disponíveis no país. O que está faltando são reformas modernizantes que possibilitem o retorno das taxas de crescimento expressivas, que faça com que o país amplie a sua participação na economia internacional e possa expandir o mercado doméstico, podendo de fato ser reconhecida como a sétima economia mundial, a caminho da sexta ou quinta posições e não retroceder como, afinal, tudo indica.

A primeira reforma a ser implementada é a reforma política. Dela dependem outras reformas como a reforma tributária, a reforma trabalhista e sindical e a reforma do Estado. O atual sistema político em vigor no Brasil não assegura que o país possa mudar com as próximas eleições e retomar o crescimento tão desejado por toda a população. 

O Brasil tem no momento 32 partidos políticos registrados na Justiça Eleitoral, o voto é obrigatório, inexiste fidelidade partidária, é possível coligações entre diferentes partidos sejam de esquerda ou de direita, o importante é ampliar a votação da legenda comum, partidos coligados para presidente num estado pode não se repetir em outro, não há coincidências de data entre as eleições gerais e as municipais o que exige do eleitorado ir às urnas a cada dois anos.

Além do mais, partidos que atingirem um mínimo de 5% dos votos nacionais e ao menos 2% em nove estados, continuarão tendo acesso ao Fundo Partidário, liderança em comissões, relatórios de projetos, tempo de televisão, entre outros. As regras existem, mas parece que agradam apenas os políticos, enquanto que a população tem demonstrado descrença, revoltas com ameaças para o próprio regime democrático.

 Quem, portanto, estará disposto a encabeçar o movimento pela reforma política no Brasil? Estamos próximos de uma nova eleição para a presidência, apostemos. Ou não???


Comente este artigo.

Estudo diz que jejum antes de exames podem ser desnecessários



Um estudo publicado no periódico Circulation questiona a necessidade do jejum para realizar exames de colesterol e triglicérides. Segundo os pesquisadores, as evidências mostram que a prática não altera o resultado dos testes. Os Institutos Nacionais de Saúde pedem para que o paciente que irá realizar a coleta de sangue esteja em jejum de 8 a 12 horas.

A pesquisa analisou os exames realizados em mais de 16 mil pessoas dos sexos masculino e feminino. Das análises, cerca de 10 mil pediam o jejum de mais de oito horas, alguns pediam menos tempo. Os estudiosos utilizaram os testes que estavam em banco de dados e os grupos foram analisados durante um período de 14 anos e comparavam os dois procedimentos para ver conseguia prever melhor os riscos de doença cardíaca e morte.

O resultado dos testes mostrou que os altos níveis de LDL, colesterol total e triglicérides estão relacionados com o risco de desenvolver doenças cardíacas e morte. Porém, quando os grupos de análise foram comparados, os pesquisadores observaram que não houve diferença entre os exames realizados em jejum ou não.

Segundo um dos principais pesquisadores e professor adjunto de medicina do Centro Médico Langone da Universidade de Nova York, Dr. Sripal Bangalore, faltam dados concretos de que o jejum é útil e que as pessoas deveriam parar de insistir neste procedimento. Ele ainda reforçou que os exames sem jejum oferecem o mesmo diagnóstico que os que requerem tal prática.


Comente este artigo.

sábado, 26 de julho de 2014

Pela reconstrução da Estação Antártica



Destruída por um grande incêndio na madrugada de 25 de fevereiro de 2012, a Estação Antártica Comandante Ferraz ainda precisa ser reconstruída. Mais de dois anos se passaram e não foi possível retomar o trabalho normalmente. Para tentar resolver, enfim, a situação, a Secretaria da Comissão Interministerial para os Recursos do Mar lança a segunda licitação para escolher a empresa ou o consórcio responsável pela obra.

O processo licitatório foi aberto, desta vez, também para candidaturas internacionais. A expectativa é que a reconstrução comece no verão antártico (que vai de outubro de 2014 a março de 2015), termine em março de 2016 e custe até US$ 110,5 milhões.

Entre as empresas que mostraram interesse em participar estão a coreana Hyundai e a alemã Kaefer, segundo o secretário da comissão, contra-almirante Marcos Silva Rodrigues. Ele diz que há o interesse também de empresas chinesa, inglesa, consórcios espanhol, chileno e de Mônaco, além de algumas empresas nacionais.

As empresas terão que apresentar qualificação técnica - engenheiros civis, mecânicos, engenheiro eletricista, entre outros -, e capacidade financeira. Vencerá, obviamente, a oferta mais barata. A vencedora precisará arcar com toda a logística. A partir de hoje, as empresas terão 45 dias para apresentar as propostas e assinar o contrato de construção da estação. No dia 10 de setembro, será feita a abertura dos envelopes de candidatura.


"Existem empresas nacionais e internacionais bastante interessadas. A maioria das internacionais tem expertise. Mas isso não desqualifica [as brasileiras], nós não tínhamos expertise em desmonte e fizemos um belíssimo trabalho [desmontando a estação atingida pelo incêndio]", disse Rodrigues à Agência Brasil.

Na Estação Antártica Comandante Ferraz, pesquisadores desenvolviam pesquisas e estudavam os fenômenos naturais da região, entre outras atividades. A estação foi instalada em 1984, na Península Keller, Baía do Almirantado, Ilha Rei George, e tinha capacidade para 64 pessoas. Após o incêndio, foi construído o Módulo Antártica Emergencial e as atividades foram mantidas.

No final do ano passado, a Marinha selecionou, por meio de edital, o projeto arquitetônico para a nova estação, que será construída no mesmo local da antiga, em respeito a normas ambientais. Em janeiro de 2014, a Secretaria da Comissão Interministerial para os Recursos do Mar lançou a primeira licitação para selecionar a empresa responsável pela reconstrução. O processo era destinado apenas para empresas nacionais. Nenhuma se candidatou. O valor máximo era R$ 147,70 milhões.

Na segunda tentativa, aumentou-se o valor da proposta, que passou a ser em dólares. A abertura de espaço para a candidatura internacional atender à reivindicação de empresas. Rodrigues explicou que a nova estação deverá ser mais confortável, além de ter mudanças na estrutura - serão 14 laboratórios na estação e quatro fora. Antes eram apenas oito.

Por: DP.

Comente este artigo.

Ex-catador vence dificuldades e se forma em medicina




Cícero Pereira Batista, 33 anos, é um ex-catador que conseguiu vencer as dificuldades financeiras e se formar em medicina. Natural da cidade satélite de Taguatinga, ele começou o curso de graduação por duas vezes e não conseguiu terminar, mas na terceira tentativa se formou e atualmente é diretor clínico de um hospital municipal e trabalha em outros dois hospitais.
 
Segundo uma matéria publicada no Uol,  Cícero chegou a passar fome e por isso era obrigado a pegar comida no lixo. Aos cinco anos de idade ele começou a pegar livros que eram jogados fora mesmo sem saber ler.  De acordo com ele, os achados serviam de inspiração e a alegria era maior quando os títulos eram de biologia ou ciências.

A vida de Cícero era muito complicada. Ele era órfão de pai, tinha uma mãe alcoólatra e mais dez irmãos, dois deles mortos por assassinato. Mesmo diante de tudo, o médico foi o único da família a se dedicar aos estudos. Acreditava que para ser alguém na vida e conseguir sair da miséria a educação era a única alternativa.

Em entrevista à Uol, ele contou que a ajuda de professores e colegas foi muito importante. Quando ainda cursava o ensino médio, ele tinha que andar cerca de 30 km a pé para chegar na escola, pois não tinha dinheiro para transporte e nem para a comida. Cícero morava em Taguatinga e todos os dias precisava ir para Ceilândia estudar.

Os professores e colegas de classe de Cícero se sensibilizaram com a situação do rapaz, que muitas vezes desmaiava de fome, e começaram a organizar doações de vale-transporte e comida. Ele ainda afirmou que algumas vezes pensava em recusar a ajuda por ser muito orgulhoso, mas mesmo com toda vergonha nunca desistiu dos estudos.

Já na fase de graduação, Cícero foi aprovado em uma instituição particular de medicina no ano de 2006 na cidade de Araguari (MG). Ele passava a semana inteira na cidade e aos fins de semana voltava para Brasília para trabalhar. O dinheiro era todo investido na mensalidade, mas a dificuldade financeira fez com que ele abandonasse o curso seis meses depois.

Quando voltou para Brasília, Cícero começou a se dedicar para fazer o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) e tentar ganhar uma bolsa de estudos do Prouni. Conseguiu uma integral para uma instituição em Paracatu (MG), mas abandou o curso mais uma vez pela distância de Brasília. Ele era técnico de enfermagem concursado e precisava ficar no emprego e queria estar perto da família.

Cícero chegou a pensar em desistir do sonho, mas persistiu e conseguiu mais uma bolsa integral, dessa vez na Faciplac (Faculdades Integradas da União Educacional do Planalto Central), na cidade satélite de gama. 

Segundo o médico, “não há desculpa para não seguir os sonhos. É preciso focar naquilo que se quer. Não é uma questão de inteligência e sim de persistência. A educação mudou a minha vida e pode mudar a de qualquer pessoa”.

Hoje os maiores sonhos do médico são: ganhar dinheiro e fazer um doutorado fora do país. Cícero mostrou que quando uma pessoa tem força de vontade ela é capaz de conquistar tudo que se deseja e que a condição em que está inserido na sociedade, jamais pode impedir uma pessoa de lutar e correr atrás do que deseja.

Com informações Uol Educação

Comente este artigo.