sábado, 25 de outubro de 2014

Pesquisa revela que consumo de energético pode levar até a morte

A ingestão de energético pode trazer consequências a saúde a médio e longo prazo

Um estudo apresentado na revista Frontiers in public Health mostrou que o consumo de energético pode trazer consequências à saúde a médio e longo prazo.

 Entre os principais problemas para a saúde estão a arritmia, que pode levar até a morte. Os efeitos colaterais da bebida se devem principalmente pela presença da cafeína, taurina, ginseng e o guaraná.

A pesquisa comprovou que crianças que consomem energéticos podem desencadear uma arritmia, hipertensão, estimulação do sistema nervoso central, vômitos, acidose metabólica, convulsão, parada cardíaca e podem chegar até a morte.
Em adultos o desenvolvimento de hipertensão e diabetes é agravado com o consumo, além de aumentar as chances de aborto espontâneo.
Com informações R7.
Comente este artigo.


sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Jovem é o que menos controla a vida financeira, diz Serasa

Jovens entre 16 a 24 anos são os que têm menos controle da vida financeira, revela pesquisa do Indicador de Educação Financeira, elaborado pelo Serasa Experian. O levantamento, divulgado hoje (22), mostra que 40% dos jovens admitem não manter a vida financeira sob controle.
Quanto maior é a idade, mais aumenta o percentual de pessoas que diz manter o controle dos gastos: 62%, entre 25 e 34 anos; 66%, entre 35 e 44 anos; 67%, entre 45 e 54 anos; e 75%, acima dos 55 anos. “A população deste perfil não costuma planejar suas finanças de maneira consciente. Os jovens precisam evitar agir por impulso e adquirir o hábito de controlar melhor a vida financeira para que eles não sofram as consequências do superendividamento e da inadimplência", diz o superintendente do Serasa Experian, Júlio Leandro.

O indicador permite acompanhar o nível de educação financeira do brasileiro. De acordo com o estudo, jovens entre 16 e 17 anos apresentou queda em relação à nota de educação financeira do ano passado: de 5,9 para 5,5. Os brasileiros que têm entre 18 e 24 também caíram na comparação com 2013, de 5,9 para 5,8.
A pesquisa envolveu 2.002 entrevistados maiores de 16 anos, em 140 cidades de todos os estados e do Distrito Federal, incluindo capitais, periferia e interior.
AGÊNCIA BRASIL.


Comente este artigo.

Beber cerveja ou vinho pode diminuir chances de demência


Uma taça de vinho ou uma caneca de cerveja diariamente pode diminuir a chance do desenvolvimento de demência, é o que aponta um estudo realizado nos Estados Unidos. Segundo o levantamento, pessoas com mais de 60 anos que bebiam regularmente apresentavam melhores respostas a testes de memória e tinham maior quantidade de massa cinzenta - área do cérebro que controla a memória.
Testes anteriores com animais mostraram que o álcool auxilia no aumento da quantidade de células nervosas nessa área do cérebro. Pesquisadores também acreditam que expor o cérebro a quantidades moderadas de álcool pode aumentar a liberação de substâncias envolvidas em funções cognitivas e de processamento de informações.
Os cientistas analisaram informações de pacientes em todo o país que foram submetidos a exames médicos - incluindo tomografias cerebrais e testes de sangue - para o risco do Alzheimer, e também questionaram seus hábitos de consumo.



Segundo Brian Downer, da Universidade do Texas, uma série de testes mentais mostraram que pessoas que consumiam bebida alcoólica de forma responsável tinham melhor memória episódica - capacidade de recordar eventos específicos.
Nas palavras de Brian: "Adultos que são capazes de continuar consumindo álcool em idadeavançada são mais saudáveis e, portanto, têm maior cognição e maiores volumes cerebrais regionais do que as pessoas que tiveram que reduzir seu consumo de álcool, devido a resultados de saúde desfavoráveis."
Os cientistas afirmaram que, embora os potenciais benefícios mentais do consumo responsável de álcool na vida adulta têm sido relatados constantemente, o consumo excessivo é conhecido por prejudicar o cérebro.


Comente este artigo.

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Desmatamento da Amazônia aumentou 290% no período de um ano

De acordo com o instituto de pesquisa Imazon, uma associação sem fins lucrativos, o SAD (Sistema de Alerta de Desmatamento) detectou de setembro de 2013 a setembro de 2014, o desmatamento da floresta Amazônica cresceu 290% no Brasil. 
Neste ano, 93% da área florestal foi monitorada via satélite, detectando 402 quilômetros quadrados de desmatamento na Amazônia Legal. No mesmo mês, em 2013, o monitoramento foi feito em 79% da área, e o desmatamento foi de 103 quilômetros quadrados.
O estado onde houve mais desmatamento foi Rondônia (33%), seguido pelo Pará (23%), Mato Grosso (18%), Amazonas (12%), Acre (10%), Roraima (4%) e Tocantins (1%).

De 2000 a 2012, o desmatamento da Amazônia nos países da América do Sul foi pesado, por causa da procura de terras para a criação de gado. Neste período, o Brasil reduziu significantemente o nível do desmatamento, porém, esses novos dados mostram que o país está voltando a judiar da floresta. 
Agência Brasil.
 Comente este artigo.


Cabine anti-zumbis está sendo vendida na internet

Se você acredita que algum dia a Terra será dominada por mortos-vivos, seja por causa de um vírus, uma maldição de alguma religião africana ou magia negra, você pode agora garantir sua segurança.
A companhia britânica Tiger Log Cabins, está vendendo uma Cabine Fortificada anti-Zumbis, a ZFC-1, nomeada a "primeira e única cabine a prova de zumbis certificada do mundo". Vendida em sua página de internet, o preço inicial é e US$112.898 (R$279.603), mais um custo adicional para instalação de US$20.963 (R$51.916).

A cabine vem com uma "garantia anti-zumbi" de 10 anos, mas para usá-la o cliente deve apresentar evidências concretas da presença de zumbis de verdade. O pacote básico inclui arame farpado, janelas reforçadas, escotilha para fuga, uma unidade de armazenamento e um segundo andar com vista de 360 graus, para localizar os mortos-vivos. A companhia apresentou a cabine com o slogan "Pegue a sua, antes que eles peguem você!" (Get yours, before they get you!).

 DM.

Comente este artigo.

domingo, 19 de outubro de 2014

Desconstrução e ódio

Desde aquela Cartilha do Politicamente Correto o desacato total à Língua Portuguesa virou instituição; motivados pelo irônico – ou cínico – “todas e todos” e suas variantes incontáveis (desde as “sábias” falas de Sarney), as “autoridades” inseriram “presidenta”, em nome de um atendimento espúrio ao movimento feminista; na esteira, vieram coisas piores, como “oficiala” (tenho comigo um documento de cartório em que aparece tal título) e o que me deixou perplexo: “bacharela” – este, imposto por assédio moral a dirigentes de faculdades: mulheres formadas receberam diplomas com essa qualificação e muitas, felizes com a excrescência, assim assinam sofríveis artigos em jornais).
Nos programas eleitorais, Iris Rezende fala “serão” (Futuro do Indicativo do verbo ser) e aparece na legenda “seram”; ele fala “quilômetros” e na legenda surge “kilômetro”. Fazer o quê? A recandidata gaguejou sistematicamente para falar “previsibilidade”.
Surpreendi-me com outra palavra: desconstrução. Usada à exaustão pelos marqueteiros e militantes de Dilma, refere-se não a demolição, mas a desmontagem. Aplicada como se pratica da atual campanha de ódio e vale-tudo, a palavra se reveste dos conceitos da calúnia, do denuncismo (neologismo político) e, em alguns casos, da injúria e da difamação. Aécio disse que Dilma teria afirmado:

“Em campanha a gente faz o diabo”; deve ter dito, porque ela não o desmentiu (no debate da Band, esta semana).
Lamento que a nação, quase trinta anos após o fim da ditadura, tenha de viver isso. A presidente Dilma teria usado ponto eletrônico no debate na Band; tudo bem, não fosse assessor, falando “em off”, valer-se de palavras pouco freqüentes no vocabulário dela, como “previsibilidade”.
Foi então que entendi porque Dilma não conseguiu defender sua dissertação de mestrado. Para se ser Mestre, há que se ler e escrever; se não sabe falar, como escreveria? Como leria um texto diante da banca, texto esse que poderia ser escrito por qualquer um, mediante paga ou não; mas, ao ler, teria de pronunciar corretamente, ou seria desmascarada.
Votei em Lula no segundo turno de 1989; votei nele em todas as eleições subseqüentes; e por sua indicação, votei em Dilma, a desconhecida; agora que a conheço, não voto mais. Meus amigos petistas têm respeitado a minha postura; mas os conhecidos que não são meus amigos agridem-me verbalmente quando percebem, por eu dizer ou por meus atos, que não votarei na economista que não soube conduzir a economia (não entendo: ela podia ter mantido o Henrique Meireles no governo, mas...). Não voto naquela arrogância nem no ódio que ela impôs à militância que, estranhamente, defende-a como ídolo, quando deveria desprezá-la por prejudicar o partido.
Respeito os amigos, os conhecidos e os estranhos que militam, que ostentam a estrela e a sigla PT, que admirei quando defendia a ética e a dignidade (agora tão estranha). Respeito-os por escolherem dentro de seus conceitos e princípios, como eu faço minhas escolhas.
Não respeito os detentores do ódio, similares a torturadores do arbítrio – não têm, hoje, a oportunidade; se lhes dessem a ocasião e os apetrechos, teriam prazer em prender e arrebentar.
É isso: eu não comungo com o ódio; se fosse generalizado, eu anularia o voto pela primeira vez, justo nesta que é a minha última eleição obrigatória.
Luiz deAquino, escritor e jornalista, membro da Academia Goiana de Letras.

Comente este artigo.

sábado, 18 de outubro de 2014

Veterinário descobre que cachorro tem alergia a humanos

Algumas pessoas são alérgicas a cães, mas agora veterinários descobriram um cachorro que é alérgico a pessoas. O Labrador de cor preta chamado Adam, foi resgatado com problemas de pele e de saúde por um grupo de cuidadores de cachorros dos Estados Unidos. Assim que começou a ser tratado em uma clínica veterinário, a saúde de Adam começou a melhorar, porém, seu problema de pele persistia. 
"Nós alimentamos ele com a melhora ração, o deixamos livre de pulgas, demos dois banhos por semana, banhos especiais em veterinários. Mas nós ainda não conseguíamos descobrir o que havia de errado, então levamos ele para fazer exames de sangue", disse Robin Herman, do grupo de protetores de cães "Lucky Dog Retreat Rescue".

Após os exames, Robin ficou surpresa quando o veterinário revelou que Adam é alérgico a humanos. "Humanos? Eu pensei que o veterinário estivesse brincando, ela disse que assim como nós podemos ser alérgicos a cachorros, ele é alérgico ao pelo humano".
Os veterinários acham que pode curá-lo, e agora o grupo está arrecadando doações para tratar o problema do Labrador.

Comente este atigo.

Cínica democracia

A situação é a seguinte: sua vida dependerá da escolha de algumas pessoas (sim ou não): - Há um grupo a seu favor, outro grupo contra e ainda um terceiro onde se encontram pessoas que desconhecem os fatos, as tramas e aguardam alguém que os convença.
O grupo contrário a você mentirá, manipulará, subornará, extorquirá e vai fazer o diabo, os favoráveis à sua vida tentarão convencer utilizando a razão dos fatos: Resultado: você está morto! Isso é democracia, certo?!
A presente eleição presidencial, assim como o exemplo citado, são amostras da falibilidade democrática porque vejam, de um lado há um partido no poder que após 12 anos apresenta um resultado medíocre em todas as áreas importantes de uma nação.
Em contrapartida, há duas alternativas, sendo a primeira uma incógnita absoluta e a segunda representada junto às pessoas que implementaram o Plano Real, o qual sustém a economia ainda hoje, apesar das agressões sofridas por políticas desastradas e incompetentes.
Se acreditarmos em pesquisas encomendadas, o povo parece escolher a continuidade do erro, apesar dos alertas racionais de pessoas mais politizadas e preparadas no entendimento dos fatos.
Mas isso é democracia, dar oportunidade para que pessoas mal informadas ou desinteressadas decidam o futuro de um país e das famílias desse país. 
Se alguém perguntasse a qualquer brasileiro se ele apoiaria um esquema de corrupção, é mais que óbvio que se ouviria um sonoro não, mas então, porque cargas d'água, as pessoas ainda insistem em votar na representação dessa corrupção ?
– Será porque a partir de agora, a corrupção será combatida, como tem prometido determinada candidata? 
– Será porque não há fatos ou indícios ou evidências suficientes que apontam na conivência com a corrupção (ainda que de forma negligente, para não se dizer nada)?  – Será porque o brasileiro é só um “esperto” ingênuo, um “malandro” tolo ?
A correção do sistema democrático deve passar, obrigatoriamente, pelo voto facultativo, pela proibição da reeleição, pela punição exemplar dos corruptos, além de uma reforma política severa e ampla, onde não se permitirá que pessoas agraciadas com bolsas governamentais votem, onde não se permitirá que pessoas fragilizadas votem ...
Mas enquanto isso não acontece, brincamos de democracia, brincamos de eleger o melhor, às vezes dá certo, outras não, queira Deus que desta vez escolhamos corretamente nosso futuro presidente !

Comente este artigo.

quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Superdosagem de Omeprazol pode causar anemia ou até mesmo demência

O medicamente Omeprazol, utilizado para tratar úlcera, gastrite, entre outros problemas gástricos, pode reduzir a quantidade de vitamina B12 no organismo quando consumido em doses elevadas. A falta dessa vitamina aumenta os riscos da pessoa ter anemia e problemas neurológicos graves, como demência.
De 1997 a 2011, pesquisadores fizeram um estudo comparando um grupo de 25.956 pacientes diagnosticados com falta de vitamina B12 e outro grupo de 184.199 pessoas sem esse problema. Eles descobriram que os indivíduos que tomam Omeprazol, ou derivados, por muito tempo, têm 65% mais chances de desenvolverem déficit da vitamina.
A superdosagem é considerada quando o consumo é de dois comprimidos por dia, ou 40 mg de Omeprazol. O problema geralmente acontece quando as pessoas se automedicam. Os pesquisadores aconselham a redução pela metade (20 mg), e fazer períodos de pausa para que o organismo possa recuperar a quantidade saudável de vitamina B12.
O estudo foi feito pela empresa norte-americana Kaiser Permanente e publicada no Jornal da Associação Médica Americana.


Comente este artigo.

Desejos bons fazem bem!

O desejo é uma atitude mental que busca uma satisfação. Desejamos algo para nossas vidas e em ocasiões especiais para a vida de outras pessoas.
Lembrem dos contos de fada, quando a princesinha Aurora nasceu recebeu a visita de três fadas madrinhas: Flora desejou que tivesse uma grande beleza; Fauna desejou que tivesse uma encantadora voz para o canto, mas, de repente, um furacão invadiu o palácio e a terceira fada, Primavera, não falou seu desejo. Surgiu, então, Malévola a Bruxa do Mal que, como não tinha sido convidada, ficou furiosa e desejou que a menina aos 16 anos furasse o dedo numa roca de fiar e assim sangrasse até morrer.

Menos mal esse feitiço terrível foi amenizado pela terceira fada que pediu para que Aurora apenas tivesse um sono profundo que poderia ser despertado pelo beijo de um amor verdadeiro.
Voltando à vida real, quando nossos bebês nascem recebem muitas visitas e também os pais escolhem seus padrinhos. Todos, inclusive os pais, desejam para o novo ser felicidade, saúde e uma vida repleta de gratificações. Desejos bons que irão fazer bem e nortearão o caminho da criança. E toda a proteção e segurança que a criança recebe servem como uma grande muralha que ameniza os maus desejos que podem existir.
Assim, quando encantados com seu bebê, os pais lhe dedicam olhares afetuosos e a criança percebe o quanto é amada. Através dos olhares de quem ama a criança, ela se percebe como um ser diferente da mãe e gradativamente se diferencia e entende o que lhe desejam.
Todos os desejos projetados para o futuro traçam os planos para esse novo ser que cresce. Desta forma as crianças também desejam agradar os pais, correspondendo aos desejos, e se empenham em dar respostas positivas. Desejam continuar sendo amadas.
Durante as outras etapas da vida é no olhar de outras pessoas que a criança encontra aconchego e estímulo. Quando os professores olham de forma afetuosa para seu aluno, para o caderno e falam palavras carinhosas tudo serve de estímulo fundamental para continuar sendo melhor e aprimorar as capacidades.
 Em outras situações, é o olhar dos amigos que estimula a fidelidade e a lealdade, um sincero diálogo e uma verdadeira trajetória ao lado de outras pessoas. Num outro momento é o olhar da pessoa amada e desejada que mostra os desejos mais intensos e permite as descobertas mais profundas de todo o nosso ser.
Encontros com pessoas que nos querem bem, que nos admiram, que nos valorizam, só pode fazer bem. São como os desejos bons que estimulam nossas atitudes e nossos comportamentos mais saudáveis. Recentemente, por ocasião do lançamento do meu livro Marcas de fogo, recebi muitas pessoas e muitas delas me surpreenderam porque ali foram me conhecer: são leitores que desejaram olhar de mais perto quem escreve. 
Esse olhar só me deixou mais contente, mais gratificada e orgulhosa da escrita que tenho feito. Retribuo agradecendo a todos que compartilharam comigo bons desejos e que dessa maneira estimulam meu fazer.Espero, como as crianças, responder adequadamente a todas essas pessoas e continuar aprimorando tudo o que transformo em escrita.
Desejos bons fazem muito bem não apenas nos contos de fada mas na vida real, onde as pessoas atravessam qualquer obstáculo para chegar aos objetivos mais sonhados e responder àqueles que amam, onde o beijo de um amor sincero pode derrubar todos os terríveis e amaldiçoados olhares do mal.

Comente este artigo.