quinta-feira, 22 de março de 2012

O homem: É lobo ou cordeiro?



Uma fábula conhecida de La Fontaine conta que uma vez um cordeirinho bebia água num riacho cristalino. Um lobo mau se aproximou e perguntou: Por que turvas a água que eu bebo? O cordeirinho replicou: Não pode ser... eu bebo abaixo...O lobo: Então é seu irmão, seu pai, seu avô...e eu tenho que me vingar. E o devorou.

Essa fábula ganhou algumas outras versões, mas basicamente mantém a mensagem de que a razão do mais forte prevalece. Lembrei dessa fábula quando li uma coluna do Paulo Santana onde constava o relato de um homem que diz ter lutado com um Pit Bull que atacava um gato. A motivação da luta foi a relação que o homem fez do Pit Bull atacando um gato à imagem de um cão que dias antes havia atacado uma criança. Essa pessoa conta que viu o cão mordendo o gato na rua em frente sua casa e então pegou o animal pelas patas, girou no ar, e bateu com ele em uma parede, repetidas vezes, na intenção de provocar a morte do cão.

Esse caso exemplifica bem a carência de discernimento das pessoas. Esse homem em questão, simplesmente considera todo cão, que ele acha ser da raça Pit Bull, um assassino de criançinhas. Ele viu no gato a criançinha morta por um cão, e em ambos o cordeiro, enquanto o Pit Bull era a figura do lobo. O que essa pessoa fez na verdade foi ele próprio assumir a atitude do lobo, transformando o Pit Bull em cordeiro – a criatura indefesa que agia conforme seu instinto e foi atacada violentamente por um ser feroz e irracional. Numa maneira equivocada de procurar vingar os seus, que ele considera cordeiros, agiu como lobo.

Se todas as pessoas tiverem esse tipo de reação, passaremos a depredar os automóveis porque eles matam pessoas em acidentes de trânsito. Não é o carro que mata, mas sim o motorista imprudente, também não é a arma que mata, mas sim o dedo que puxa o gatilho.

Assim é com os cães, criaturas irracionais que agem por instinto e que são mal manipuladas por seus donos. Qualquer cão de qualquer raça tende a atacar um gato. O Pit Bull em questão inclusive poderia ter atacado pessoas na rua, mas não, agiu por instinto e atacou outro animal.

Considerar que um cão que ataca um gato merece a morte é um bom exemplo da intolerância inerente ao ser humano, que demonstra sua completa ausência de critério ao relatar essa história quase que se considerando um super-herói defensor dos fracos e oprimidos, cometendo o crime de maus tratos contra um animal. Ele fez aquilo que revela o instinto inerente ao ser humano, julgar pelo estereótipo. O mesmo sentimento que move os autores dos maiores crimes contra a humanidade, a intolerância.

O Pit Bull está longe de ser vilão. E seu extermínio, como pregam alguns, não vai resolver o problema de ataques de cães contra pessoas. Porque em algum tempo outra raça vai ser considerada perigosa e julgo ser impossível a humanidade abdicar do animal que é considerado seu melhor amigo.

Nem toda pessoa pode ter um cão de guarda, assim como nem toda pessoa pode ter uma arma de fogo. Existem campanhas de desarmamento, Lei Seca, Lei Maria da Penha, mas os homicídios continuam acontecendo, o trânsito continua matando e as mulheres continuam apanhando. O problema continua sendo o mesmo: as pessoas, com seus hábitos de beber, de se impor, e de se tornarem irracionais e intolerantes.

por: Ivanor Oliviecki

Comente este post...ainda não cheguei a uma conclusão sobre essa raça de cachorro.

3 comentários:

  1. a forma que as pessoas veem a raça pit bull exemplifica exatamente a mente minuscula do homem perante a propria imagem q ele passa para um cão.o homem é um lobo...ensina cães a matar mesmo sem saber q faz isso...criaram conceitos sobre essa raça da mesma forma que criam conceitos de todos os outros tipos de coisas no mundo.isso se chama pré conceito...

    ResponderExcluir
  2. às vezes precisamos ser lobos e outras vezes cordeiros, pois a sociedade é complexa e viver dentro de grupos sociais é saber moldar a nossa conduta a cada instante. Abraços, meu amigo.
    Sempre gosto das suas postagens!!!

    Mas nada justifica a irracionalidade...

    ResponderExcluir