domingo, 10 de janeiro de 2016

Ser feliz, ou ser consciente?


Os caminhos para a felicidade

A busca pela felicidade sempre foi uma das buscas mais implacáveis dos seres humanos, no entanto, o que seria a felicidade? o que é ser feliz? evidentemente que não tenho uma resposta pronta para tais perguntas, pois, esta busca e a compreensão destes termos é subjetivo de cada sujeito.
Na contemporaneidade essa busca parece que se acentuou, pois, tudo virá sinônimo de ser feliz ou de felicidade, (observemos as propagandas nos veículos de comunicação) fato este que podemos atribuir aos tentáculos controladores do sistema do capital.
A celebre frase do filosofo Francês Jean Paul Sartre “O homem está condenado a ser livre” nos auxilia no processo de compreensão da conjuntura sociopolítica que a sociedade contemporânea perpassa. Pois, vivemos em um presentismo continuo que nos causam limitações reflexivas diante das estruturas sociais que regem a sociedade.
Podemos fazer escolhas das nossas ações, no entanto, estamos fadados a arcar com as consequências.  E isso se explica no movimento reflexivo dos indivíduos perante a sociedade. Se entendermos o termo felicidade como algo que tende a ser direcionado a partir do encobrimento do real, ou seja, de maneira inconsciente, estamos condenados a continuarmos como massa de manobra no meio social, permitindo assim a manutenção e disseminação da atual conjuntura social, que é, direcionada pela estagnação sociopolítica que os indivíduos e grupos sociais s se encontram.
 Por outro lado se termos a consciência das mazelas que nos assolam poderemos sim ficarmos insatisfeitos, mas esta insatisfação nos leva aos pensamentos críticos, acarretando assim, movimentos e lutas sociais para a ruptura com a atual situação social que nos encontramos.
Tendo em vista essa dualidade na perspectiva reflexiva social compartilho de um certo relativismo nos posicionamentos ou interpretações acerca dos momentos de crise Sendo assim, considero que o melhor caminho a ser trilhado neste momento atual de nossa conjuntura seja o do ser consciente e insatisfeito, pois a partir da consciência da real situação que nos é imposta refletirá em lutas sociais que poderão agir sobre os inconsistentes e felizes.
 Entretanto, “O homem está condenado a ser livre” desta forma somente as nossas ações de lutas –contra hegemônicas poderão surtir efeito pratica no meio social. Força Secundaristas lutem pelo o que é por direito de vocês e de toda a sociedade.
Comente este artigo.

Um comentário:

  1. É como empilhar várias caixas pesadas de papelão: Elas podem aguentar por um tempo, mas mais cedo ou mais tarde irão desabar. Não adiantar querer tapar sol com a peneira, viver no pão e circo. Isso tudo é temporário. Um dia a verdade irá aparecer e a dor será bem maior.
    rsenhando.blogspot.com.br

    ResponderExcluir