sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Aprende-se a gostar de gente?


Quando me perguntam se é possível aprender a gostar de gente, respondo, sem medo de errar, que é perfeitamente possível. Depende da atitude de cada pessoa.


Costumo dizer que os grandes diferenciais competitivos no mercado atual não estão apenas na qualidade dos produtos e preços baixos, mas, principalmente, nos relacionamentos saudáveis com as pessoas, tanto no atendimento quanto na prestação de serviços. Entretanto, ouço constantemente que muitas pessoas nem sempre são abertas a relacionamentos e que muitos nem respondem a um “bom dia”, “boa tarde” etc.

Por outro lado, quando pergunto: Em cada dez pessoas quantos não respondem ao cumprimento? Quantos são grosseiros? As respostas giram em torno de dois ou três. Ora, isso é normal, pois está dentro da faixa de 20% a 30%. Já pensou se todos não respondessem! Sem dúvida, o erro estaria com quem cumprimentou.

Com frequência, encontram-se vendedores e atendentes que fazem julgamento dos seus clientes pela minoria e usam isso como justificativa para encobrir as suas falhas, alegando que todos só querem levar vantagens. Profissionais que pensam assim perdem vendas e clientes, dando oportunidade aos concorrentes que são mestres em cultivar relacionamentos.

Quando me perguntam se é possível aprender a gostar de gente, respondo, sem medo de errar, que é perfeitamente possível. Depende da atitude de cada pessoa. Antes de achar que apenas os clientes são complicados, é fundamental que os profissionais de vendas e atendimento façam uma autoavaliação para verificarem como estão se comportando. Identificada a necessidade de mudança, o próximo passo é agir no sentido de mudar. Mas é bom lembrar que não se muda do dia para a noite.

Recomendo a leitura de excelentes autores que contribuem bastante para a mudança de atitude, a exemplo de Dale Carnegie (Como Fazer Amigos e Influenciar Pessoas), Napoleon Hill (A Lei do Triunfo, Quem Pensa Enriquece, entre outros), Joe Girard (Como Vender Qualquer Coisa a Qualquer Um) etc.

Vejamos a seguir algumas regras simples, mas eficazes, para se construir relacionamentos saudáveis, de modo a fazer com que as pessoas passem a gostar da gente e vice-versa, tendo como consequência o sucesso nos negócios:

>> Cumprimente as pessoas com alegria e entusiasmo.

>> Sorria para as pessoas. O sorriso elimina as barreiras da antipatia e encurta a distância entre as pessoas.

>> Ouça com atenção. Siga a dica de William Shakespeare: Dê a todas as pessoas seus ouvidos, mas a poucos a sua voz.                  

>> Não tenha medo de pegar na mão das pessoas, mesmo das humildes. Uma coisa é certa: os seus dedos continuarão intactos e você será valorizado por elas.

>> Esteja sempre de bom humor.

>> Fale de coisas de interesse das outras pessoas.

>> Trate as pessoas pelo nome, pois este é o som mais importante para elas.

>> Demonstre disponibilidade para servir, e não apenas querer se servir das pessoas.

>> Seja proativo e faça sempre mais que a obrigação.

>> Seja comprometido, cumprindo rigorosamente os compromissos assumidos.

>> Use e abuse das palavras mágicas: Obrigado, por gentileza, dê licença, parabéns, desculpe etc.

>> Demonstre sinceridade com as pessoas.

>> Aja sempre com ética.

>> Seja tolerante, flexível e respeite a individualidade de cada pessoa.



Comente este artigo.

2 comentários:

  1. Acho que o ato que temos de julgar as pessoas antes de conhecer faça com que percamos oportunidades de termos ótimas amizades...
    Confiram meu blog, faço resenhas: http://rsenhando.blogspot.com.br/2015/08/targets.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo contigo. Visitarei seu blog com certeza

      Excluir